quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

3, 2, 1... 2010!

'como arroz e feijão é feita de grão em grão a nossa felicidade'


'é hora da virada, partir pro tudo ou nada, e eu não to com nenhum tempo pra perder'

3, 2, 1... 2010!! Viva, viva! Finalmente, o futuro, o dia de botar nossos sonhos em prática, de olhar pra frente, de esbanjar felicidade... e todo aquele blá blá blá, está chegando! Faltam só algumas horas pra toda aquela paz, amor, saúde, sucesso e felicidade nos alcançar! Chega de adiar, de prometer, de arranjar desculpas.

Esse ano só depende de você pra ser perfeito!
E 2010, prestes a chegar, vai sim ser muito bom, porque faremos dele o melhor possível. Se queremos ele perfeito, temos que fazê-lo perfeito!

O que me lembra aquela propaganda, do Banco do Brasil, acho... ou de qualquer coisa com o logo amarelo, na qual o Ano Novo nos pede pra aproveitar seu verão, curtir seus finais de semana, ser mais simpático com suas segundas, celebrar o amor, realizar nossos sonhos...
Eu simplesmente amo essa propaganda! É mais ou menos tudo em que eu acredito e tenho tentado botar em prática.

2009 se foi, mas agradeço tudo o que me proporcionou, inclusive as terças tediosas, os relacionamentos findados, as brigas, as saudades, as dores, doenças, cagadas, besteiras faladas e ouvidas, tapas e afins. Porque acima de tudo isso, houve a presença, os presentes, as piadas, as risadas de doer o abdome, as conquistas, os elogios, os sonhos, as delícias e bom humor.

Aprendi muito esse ano e acho que evolui bastante como pessoa, como ser humano, como amiga. Minha relação comigo mesma se estreitou, e passei a me encarar com um pouco mais de afinidade e seriedade; passei a - orgulhosa, as vezes, eu sei - acreditar mais no meu potencial e a cobrar das pessoas o reconhecimento pelo meu trabalho; passei a me elogiar, quando justo, e a me cobrar, me xingar e bater, quando necessário.

Amei. Muito e desregradamente.

Dancei. Joguei, lutei, aprendi passos e saltos. Li; e reatei histórias rasgadas.

Ouvi muito, falei mais ainda.

Ainda não aprendi a dizer não. E pelo visto, nunca o farei.

Há muito ainda por fazer, mas agrdeço 2009 por ter acabado dessa maneira tão graciosa. Por ter me ensinado tanto, mesmo que de maneiras não tão convencionais. Obrigado, obrigado! E viva 2010, que está pra nascer... um bebê que precisa da nossa ajuda pra crescer e se tornar grandioso, espetacular!

De novo, feliz 2010!

E até o ano que vem, literalmente.


Beeijoos, Jaqueline.
~ Provavelmente só vou atualizar o blog no sábado dia 2 ou, com um bocadinho de azar, depois que voltar da praia, dia 8, sexta-feira. Vou sentir saudades e torcer para que não me abandonem ano que vem ;* ~

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Cartão de Ano Novo

se pudesse dar uma só dica sobre o futuro seria essa:

'sempre que houver alternativas tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortavel, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso. Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências'



Um brinde a todos os que sonham! Os que lutam e os que tem forças pra irem um pouco além!
Que caiam bençãos sobre vocês nesse momento mágico e que elas reforcem cada boa característica que possuam, lhes deem algumas novas, pra variar, e os tornem mais fortes, sinceros, conscientes, capazes, felizes, audaciosos, bem humorados, apaixonados, ousados, criativos, sexys, dedicados, perseverantes, justos, estudiosos, festeiros, fraternais, carinhosos, simpáticos, sorridentes, verdadeiros, amigos.
Que você resolva seus problemas com Deus e se aproxime, ou desencane de vez.
Que cada dia seja melhor que o que o antecedeu e que seja cada vez mais fácil dizer que se é feliz, já que a tal felicidade está sempre mais perto do que imaginamos, por que não abraçá-la?
Que possamos viver 2010 como nunca vivemos ano algum, livres da pressão, do stress, da tristeza e melancolia, da depressão, das doenças cardíacas, dos velórios, dos acidentes de trânsito, da separação, da distância, da saudade, da raiva, do rancor... mas se não nos livrarmos disso, que saibamos lidar com eles da maneira mais sábia possível, e rir de tudo depois, sem perder a classe, o estilo e o rebolado.
Que haja dança em nossos dias e que a música preencha os vazios da nossa existência. Que domine nosso corpo, nossa mente e que nos faça relaxar, viajar, sonhar.
Um brinde a todos os que amam, e aos que se deixam amar!
Que nosso ano se preencha de trabalho, estudo, família e amigos! Mas que possamos, com uma liberdade egoísta, disponibilizar uma ou duas horas de cada dia a nós mesmos, pra sermos mesquinhamente felizes e realizados, mimados e bem cuidados pelas pessoas que mais nos amam: nós mesmos! Que possamos presentear, conhecidos ou não, de coisas, atitudes ou sorrisos.
Que em 2010 aprendamos a sorrir: pros problemas, pros estranhos, pro espelho; e preencher nossa alma de pura felicidade.


É o que eu quero, pra mim e pra vocês!
Feliz 2010, muita sorte e muita luz!

Beeijos, Jaqueline.

Dois...

Dois é o número mínimo pra tudo; ser sozinho é muito chato; ser ímpar, inconparável, ser junto é bem melhor, mais caloroso, divetido. Dois é o primeiro número par, o primeiro casal, o primeiro sábado do ano que vem. Dois forma um abraço, um beijo, um olhar. Dois é conversa, diálogo, progresso. Dois são os dias que faltam pro futuro, quando o presente vai parecer tão passado quanto aquele encontro, aquela conversa, aqueles amigos naquele lugar. Dois é metade, também; são os dois lados da moeda, da história, da lembrança; é dia e noite, frio e quente; tudo se divide em dois e, dividindo-se, multiplica. o que era uma barra de chocolate só vira duas, quatro, oito; e depois comem e ela some, aí vira amizade, história pra contar, risadas, fotografias. Dois olhares, dois encontros, dois motivos, duas festas, duas saudades... duas vidas? não, vida é uma só; não dá pra viver duas vezes a mesma vida, nem a mesma situação. o tempo passa e a gente não consegue segurar, nem com as duas mãos. Dois é combinação, é união, conexão; dois é par, é dupla, é garra, é dança. Dois limões dá uma limonada pra duas pessoas ou mais - dependendo do tamanho do limão e copos em questão. Duas são as vezes que devemos gritar pra nós mesmos por dia que somos os únicos responsáveis em viver a felicidade. Mas ser único em qualquer coisa é muito chato, então, ache alguem, e seja responsável também pela felicidade dele, além da sua. Assim, formam uma dupla (ou quem sabe um trio, um grupo, uma banda, uma quadrilha ou bando) de dois, como diriam os engraçadinhos por aí. Dois é aperto de mão, queda de braço, mordida e amasso. Dois é amor, é paixão, guerra, tesão, raiva, emoção. Um sonho só faz sentido se for dividido em dois, no mínimo. E a felicidade só existe quando sabemos compartilhá-la. A vida é pra ser vivida, sentida, degustada milimétricamente e a cada segundo com os outros. Com a família, com os amigos, em paz com nosso passado e sem perturbar o futuro, antes dele chegar. Um dia, dois, de cada vez. Dois é a palavra mais repetida desse texto, então, dois beijos, dois queijos, dois fogos de artifício, duas taças de champagne (?) e, tim tim, feliz ano novo!


- Vai acabar...
- Eu sei...
- E o que fazemos?!
- Aproveitamos!!


Beeijooos, Jaqueline.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Resolusões (só 3 dias)

Eu quero, eu quero, eu quero. Sempre as mesmas coisas que queria no ano passado, mas que precisam ser postas numa lista, numa comportada fila indiana, ou nada feito. Um número embaixo do outro, cada ano uma lista maior. E a cada ano, mais resoluções não cumpridas, mais metas inalcançáveis, mas não mais frustrações. Definitivamente.

Sonhar não nos torna obrigados a realizações. Sonhar é um direito deliciosamente irrevogável e, como felizmente é e sabemos, não paga imposto. E se não realizamos essa ou aquela meta, se não fomos a tal espetáculo nem lemos os cem clássicos prometidos ou se não paramos de fumar, não significa que tenhamos fracassado ou que tenhamos sonhado alto demais, ou seja lá o modo que definam a nossa tal ‘culpa’ por não haver cumprido com planos feitos sem o menor planejamento ou pudor.

É simplesmente tão delicioso planejar, sonhar, se divertir com seus próprios desejos - mesmo que sejam um passeio com aquela bicicleta que há muito está com os pneus murchos largada a um canto ou uma aula experimental de pilates, só pra saber o quanto dói - e não devemos nos obrigar a nada; nem a nos privar dessa brincadeira nem a cumprir cada linha da lista. Até porque nossos sonhos se tornariam um fardo, um peso... E de obrigações nossa vida já está repleta; e basta! Não quero, nem vocês, aposto, mais uma cobrança, mais trabalho, stress e frustração. Apenas sonhemos, sim? Livres e sonhadores, como crianças.

Só para constar, pois todos já o sabem: a realização de cada item que sonhamos é de nossa única responsabilidade; é impossível dizer que conseguirei um emprego em 2010, se meus currículos ainda estão salvos numa pasta do meu computador, ao invés de impressos e distribuídos. A realidade, apesar de contar com pequenos empurrões do destino, precisa sim da nossa atitude. Mas não devemos nos stressar com os caminhos que iremos percorrer, nem se darão certo, mas deixar as coisas acontecerem naturalmente, batalhando - é claro - mas sem cobrar-nos de objetivos distantes ou impossíveis.

Acho interessante listar desejos e objetivos até mesmo por uma questão de auto conhecimento, de colocarmos na ponta do lápis, literalmente, o que queremos e depois de um tempo - seja um mês ou um ano - ver o que mudou, o que permanece, o que realizamos e o que esquecemos. É uma experiência divertida e eu recomendo.

Já estou fazendo minha lista de resoluções, de pequenos sonhos, desejos e metas. Se vou cumpri-las, não sei. Vamos primeiro terminar a lista, não é mesmo?!

Feliz Ano Novo!
Um 2010 cheio de paz, saúde, amor, felicidade, sucesso e energia boa!
Muita sorte e muita luz.




Esse texto foi publicado no www.itu.com.br/jaquelinerosa
se gostou, passe lá e deixe um comentário.
É muito importante pra mim ^^ !




(minha lista ainda não está pronta ¬¬ em breve ;*)
Beeijoos, Jaqueline.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Cinco, quatro...


[contando hoje, ou inclusive como diria Waldemar]

E faltam sete dias (uma semana é mais bonito, né) para eu viajar e sei que parece ridículo e absurdo, mas minhas malas (pequenas, as duas ¬¬) já estão quase prontas. E se por acaso eu estiver levando (não disse que estou levando, vejam bem) cinco modelos diferentes de vestido, considerando que minhas malas não se resumem a eles, a culpa não é minha, sim? No muito, ela seria da minha irmã que, acompanhando minha infância e pré adolesceência, me influenciou a ponto d'eu ficar tão fresca quanto a própria, incapaz de carregar pra praia apenas um ou dois modelos de biquini e apenas as roupas que eu tenho certeza que vou usar.

Vamos pra Praia Grande dia 4, segunda ¬¬, e ficamos até dia 7, é pouco, mas já dá pra voltar bronzeada! =) Trabalho até dia 31, infelizmente, que é o dia de maior comilança de tranqueiras do ano (pena que eu to de dieta e não vou comer nada \o/), em casa mesmo; é dia de ficar com a família, comer a beça, ver televisão e depois, meia noite, ver os fogos e abraçar toodo mundo. Super divertido, né?! Morram de inveja, então.

Vou começar a fazer minha lista de resoluções pra 2010 hoje!
Depois mostro pra vocês... Acabo de me stressar e perdi o rebolado aqui com meu blog.


Beeiijos, Jaqueline.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Contagem regressiva: seis...

Faltam seis dias pro ano que vem, não é ótimo? A.DO.RO! Simplesmente, 2009 já deu o que tinha que dar. Foi muito bom, mas que venha 2010! Estou ansiosa! =) E animada: algo me diz - e quem me conhece sabe que minha intuição dificilmente falha - que esse ano vai ser tu.do de bom! 

2010 promete o início - e o término - de muitas coisas e, por enquanto, estou otimista quanto o resultado final,  quero logo que certas coisas aconteçam mas, calma Jaque!, tudo a seu tempo! Hoje, pós Natal GRAÇAS A DEUS, consigo pensar melhor nas coisas, refletir melhor meus próximos passos, mas não preocupada ou nervosa, não... To é planejando minhas férias, minha mala pra praia, meu camping com as amigas, meus shoppings e afins...




(sem muito tempo e criatividade...)
Meu Natal foi bom, muita comida e família, uma delícia! Ri muito, me diverti um tanto... E comi MUITO doce! Hahhaha

Beeijoos, Jaqueline.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal!

Que esse seja o melhor de toda a sua vida!
Muita paz, saúde, fartura, solidariedade, sorrisos, abraços, presentes, comida, família!
Muita família pra vocês! Que haja tanta família no seu dia que até canse! E que haja um segundinho de reflexão sobre o que realmente importa na vida; que possamos fazer tudo o que temos direito com classe, respeito e muita, muita alegria! Que Papai Noel seja generoso com todos vocês! E que vocês retribuam com suas atitudes, depois.

Desejo horas inesquecíveis, no Natal e sempre! Desejo que pessoas legais (*_*) liguem pra vocês e desejem tudo de bom; e que as palavras que elas disserem deixem o seu dia ainda mais brilhante e sua vida mais feliz. Que você brinque com seus primos caçulas e converse com os adultos, e procure viver seu dia da melhor maneira possivel; não cante 'parabéns pra você' pra Jesus, que o aniversário dele deve ser em março, mas celebre a vida e a maravilha de se estar com quem se ama, ou de simplesmente existir alguém pra amar.



Um beijo enooorme, dessa amnesiada que só
quer a felicidade plena de cada um de vocês!
Jaqueline.



terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Então é Natal +o(

Natal finalmente acabando chegando! Como essa época é super corrida aqui na loja, não sei se amanhã (dia 24 nem se fale) vou poder entrar no orkut, msn, blog e afins. Dessa forma, apressada e adiantada como sempre, vou desejar a vocês um Feliz Natal:

Feliz Natal, amigos, família, leitores, que ainda não desistiram de mim nem do meu blog, e todo o resto da galera!

Sinceramente, para mim, o Natal só é válido por ser uma data que faz as pessoas refletirem (um pouco) sobre suas atitudes, sobre sua vida e seus sentimentos.  Se não servir pra isso, que sirva, pelo menos, pra juntar a família, os primos distantes, que mal se conhecem, os tios que brigaram, as sogras e as noras, os netos e os cunhados! Pra entendermos o quão importante é essa data, que, já que acontece só uma vez por ano, tem que ser muuito boa!!

Assim sendo, divirtam-se! Reunam-se, contem histórias da família, presenteiem! Não porque os presentes sãomais importantes do que qualquer outra coisa, porque não o são, mas pra mostrar que você se importa, que tal pessoa fez seu 2009 mais feliz! Perdoem as cagadas alheias e façam com que os perdoem. Esqueçam tudo, apaguem tudo, e bora viver... até chegar o Natal de 2010 e começar tudo de novo. rs ;*

Então,  um - literalmente- FELIZ Natal...
Sendo que o 'FELIZ' importa mais - bem mais - que o 'Natal'.


Beeijoos, Jaqueline ;D

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Verão

"she's just waiting for the summertime'



E o verão, oficialmente, chegou! Finalmente! Felizmente! Dia de sol agradabilíssimo, combinando com meu visual praieiro, adotado essa semana, baseado em bermudas, batas e colares de coquinho, e com meu ótimo, ótimo ao quadrado, humor. Apesar de ter que ficar enfiada nessa loja, trabalhando, até a hora que Deus mandar (provavelmente até as 21h ¬¬) vale a pena esse dia ma.ra.vi.lho.so! O céu hoje está como nos quadros ruins: azul chapado, liso, sem tonalidades, sem degradê... simplesmente azul! Muuuito azul! Tá lindo ;) {de uns tempos pra cá azul voltou pra lista das minhas cores favoriiitas kkkkk}.

Então, felizmente a temperatura está agradável, o céu está azul, e eu de bom humor.
E faltam só quatro dias de trabalho intenso pro Natal acabar! \o/ Melhor que isso, só se fossem três!


Férias, então... Janeiro volto pra musculação, semana que vem começa nosso programa de caminhada matinal (lá pelas sete, acreditem). Camping dia 31 é lei; independete de quem vai, ou como,... nós vamos, eu e a Thata. Talvez, e infelizmente é só um talvez, vamos viajar *_* ou pra praia com uma tia, ou prum hotel fazenda com outra... Aiiii, dúvida cruel! hahahahha ;D torçam para dar certo!

Eu estava só esperando o verão chegar... Porque é simplesmente a melhor época do ano! Sol, calor, vestidos, bronzeado, risadas... O verão é a época mais feliz, fim de dezembro, janeiro, fevereiro e metade de março! Quer mais o quee?! Delícia! Piscina, amigas, muuitas paixonites {ou não} kkkkkkkkk.
É divertidíssimo, colorido, parece que o verão dá pra tudo um gostinho de sorvete. {aliás, verão é época de sorvete! xD}.

Bora, então, treinar, puxar ferro, gingar muuitcho, ficar morena e saradinha! (pra ir pra praia/hotel depois lol).

 Aproveitem bem o verão, antes que acabe; divirtam-se, tomem muito sol e sorvete...
Porque é o que eu vou fazer ;)

Beeijoos, Jaqueline.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Ontem


foi uma sexta feira particularmente interessante (6) haha. Trabalho o dia inteiro, dança de salão depois; foi a última aula do ano, e a minha última do curso, ano que vem vai ser impossível, por causa do horário; vou fazer musculação no lugar; depois da dança, um papo rápido com uma super amiga, alguns babadinhos, tricôs e afins, depois, banho, roupa, make e perfume, e uma voltinha pra encerrar a sexta e começar o sábado.
É engraçado como certas coisas acontecem sem que tivéssemos imaginado ou planejado, apesar de termos, intimamente, desejado a realização de cada uma delas.
"Eu quero sentir a noite, eu quero seguir a estrela, eu queroo sentir o vento pela pele, um pensamento me fará uma louca tempestade;... eu quero olhar as luzes que seus olhos não me têm deixado ver"... não, acho que eu fico com seus olhos mesmo, por enquanto! Haha. {kkkkk²}
Tendo desistido de Sansão, Dalila ficou quietinha um pouquinho e já vem outro buscá-la. Então, vai buscar Dalila ligeiro! Hhahaha
 *morri*
Hum. Digamos que estou me divertindo e, como dito no post anterior, é isso que importa. Me diverti, ri muito, 'muito bem acompanhada, obrigada!', e to de bom humor apesar do sono muuito leve e curto. Morram de inveja, meus olhos são azuis.

.~~. (<-- isso parece um skate pra mim Oo)

Viva! Hoje é dia dezenove, logo logo o Natal acaba! \o/

.~~.

Vontade absurda de certas coisas... tipo dançar ballet.

.~~.

Beeijoos, Jacky.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Bailarina, Soldado de Chumbo e outros

De repente toda mágica se acabou
E na nossa casinha apertada
Tá faltando graça e tá sobrando espaço
Tô sobrando num sobrado sem ventilador

Vai dizer que nossas preces não alcançaram o céu?
Coração, que ainda vem me perguntar o que aconteceu
Conta se seu rosto por acaso ainda tem o gosto meu

Com duas conchas nas mãos,
Vem vestida de ouro e poeira
Falando de um jeito maneira
Da lua, da estrela e de um certo mal
Que agora acompanha teu dia
E pra minha poesia é o ponto final
É o ponto em que recomeço,
Recanto e despeço da magia que balança o mundo

Bailarina, soldado de chumbo
Bailarina, soldado de chumbo, beijo e dor
Bailarina, soldado de chumbo

Nossa casinha pequena
Parece vazia sem o teu balé
Sem teu café requentado
Soldado de chumbo não fica de pé


Essa música, A Bailarina e o Soldado de Chumbo, d'O Teatro Mágico, é simplesmente, absurdamente, linda. Triste e linda. Não consigo, ou não consegui essa semana, pelo menos, ouvi-la uma vez sequer sem m'arrepiar. Na história o Soldadinho não consgue viver sem a bailarina, (é isso?) e na música, bailarina vai-se embora, e tudo perde a cor e o sentido. Ahh, amo essa música! Mesmo não sendo a maior fã de TM do mundo.




Hoje, graças a Deus (?!) é sexta feira, última aula de dança de salão (essa é a parte ruim) e depois, uma saidinha de casa, pra dar uma voltinha (essa é a parte ótimaaa!!) ;D ~ Roubei de mim um post antigo, sobre um fim de semana divertidíssimo, porque acho que é disso que todos nós estamos precisando: nos divertir! E nada melhor que uma sexta feira tranquila e descompromissada pra que isso aconteça (dica: se a sexta render, prolongue pro sábado a diversão ;D).

"Quando digo que vou ser feliz antes de mais nada, raramente estou falando daquela felicidade suprema e completa, praticamente inalcansável. Geralmente penso naqueles pequenos momentos de euforia, alegria, risos... Momentos em que normalmente agimos livremente, sem o peso da consciência, sem o olhar crítico dos outros (sem ligar pra eles, entendem, porque os chatos estarão sempre lá), curtindo a próporia vontade, a própria sede. E, pra mim, esses pequenos momentos estão aí, só esperando decidirmos vivê-los. E, de uns tempos pra cá, eu ando trazendo pra prática minhas vontades, meus sonhos, objetivos... E também, é claro, vivendo essas pequenas felicidades, pequenas diversões... (6) O mundo já é chato o suficiente sem que tentemos piorá-lo reprimindo nossos desejos - sejam eles de amor ou vingança, ódio, gula ou um abraço excessivamente apertado - e eu volto a dizer: passar vontade faz mal para o estômago. Então cuidado, pois úlcera pode matar. O interessante, é a prudênca, claro! Mas entendam que liberdade é uma das grandes vantagens de estar solteira e -morram de inveja- eu não devo nada pra ninguém, certo? Então... Girls just want to have fun! Garotas só querem se divertir, dançar até morrer, ter dor no pé por causa do seu salto alto novo, vestir um pretinho básico e ficar lindas! Entrar numa baladinha, descolar um cara lindo, ver seu ex fazer cara feia, bater um papo gostoso, rir muuuito, muito bem acompanhada, obrigado!, voltar pra casa e capotar! Acordar no dia seguinte nova em folha, apesar de seis horas mal dormidas, feliz e com vontade de repetir tudo no fim de semana seguido." (Girls Just Want To Have Fun - 06/06/2009)

Rs. No words.

.~~~.

Ontem dançamos numa formatura de creche, foi ótimo! E depois, teve nossa festinha de encerramento do ballet, minhas bailarinas estavam liindaas, de vestidinhos e cabelos livres daqueles grampos detestáveis! Muito bolo, pizza, bisnaguinha e... SUCO! Um viva pras bailarinas que ignoraram a Coca Cola e beberam suco de máracujá ou uva! Vou morrer de saudade nesse mês longuíssimo de férias!!!

.~~~.

Recomendo: revista TPM (Trip Para Mulheres); eles tem um jeito muito leve e descontraído de dizer as coisas, sem parecer revista de dieta querendo fazer piada com quem vai passar um mês comendo alfacee e tofu. O site é praticamente livre, ameei! *_* http://www.revistatpm.com.br/.

.~~~.

Ahhh, não sei mais!
Beeijos, Jaqueline.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

2009, em vias de acabar

Tenho vontade de escrever sobre nada, sobre as músicas que eu já não aguento mais ouvir, sobre a apresentação de dança, sobre meus planos pro ano que vem, sobre a dor no coração de estar quase de férias das duas coisas que eu mais amo na vida, sobre a felicidade ao ver aquela carinha de quatro anos rindo pra mim, cada titi cor de rosa que pulava na minha frente cantando ciranda, sobre o arrepio de ouvir Bailarina e o Soldado de Chumbo, sobre a vontade absurda de alugar filmes de dança e de ver Besouro. Tenho vontade de escrever sobre muitas coisas, mas meus dedos estão lentos hoje e meu coração está falando meio baixo, não dá pra entender. É um grande vazio de sintomas, de temas.

E lá se vai minha grande perspectiva de 150 atualizações em 2009... só pra ficar na média.

Alguem aí já notou que o ano está prestes a acabar?! Sim, hoje é dia dezesseis, duas semanas e ja vai ser 2010. Não sei, ainda quero que o Natal acabe logo, mas 2009... Bom, 2009 vai ser um ano do qual vou sentir falta... Apesar de tudo, aconteceram coisas muitíssimos boas, coisas inesquecíveis, alguns sonhos realizados, váááários momentos divertidíssimos e alguns apaixonantes.

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade".

Se fosse fazer uma retrospectiva 2009, que nem sequer terminou ainda, bom, posso dizer com toda a certeza do mundo que não daria pra esse ano o 7,5 que dei pra 2008. Dou no mínimo um 8,5... Se tudo der certo, posso aumentar até ;D ahahhaa em duas semanas muita coisa pode acontecer.

Algumas coisas ficarão guardadas comigo pra sempre, como o fato deu ter ganho meus amigos de volta, Luiz e Jow, e todos os que vieram junto com eles; o batizado, com a troca de corda, o tombo e tudo; a maravilhosa e primeira (se Deus quiser, não a última) apresentação de ballet da minha vida; meu aniversário, comemorado com tanta classe por pessoas que eu amo muito, cada aula de ioga, ballet, capoeira, dança de salão; cada passo aprendido, cada elogio;

Santos e aquele pulo no mar, de roupa e tudo; cada passeio de moto, e a queimadura na perna, que tinha formato de coração; as rodas de capoeira das quais consegui participar e o curso do CM Paulo Renato; minha queda de rim que melhorou, o som do atabaque que eu tirei, quando consegui sair da ponte; o carnaval e nossa fantasia de borboleta rosa; a presença do Adama, africano tudo de bom, na nossa aula, sob o projeto do Ano da França no Brasil;  

Comprei meus óculos e fui algumas vezes no Itu.com; Ahhh, teve aquele dia de fotos no Espaço Shiva!! Foi demaais! *_* O titi roxo ficou, é claro, horrível em mim, mas valeu a esperiência, foi divertido! Xiiii não sei ainda se ficar longe da escola semanas por causa da gripe suína foi bom ou ruim, mas foi marcante. 2009 o ano do porco!

2009, mesmo que tenha sido bem no finzinho, foi pra mim o Ano da Lispector, nunca li tanta coisa dela de uma só vez, agora a tendencia é aumentar, já que vou sair da internet pra ler seus livros, de verdade. Siiiiiiiimmm quase me esqueci!!! Fui pra praia esse ano: CARAGUÁÁÁÁ! Nossa, que saudade que deu agora... Sim, foi muito bom, cada grama de sal que eu engoli valeu a pena; pagava pra voltar lá. E antes teve a caminhada ecológica: Vanessa, Diego, Evandro... hahaha todos uns amores. Foi um dia muito divertido. Fui ver Amigas Pero No Mucho e A Alma Boa de Setsuan: ambos famosos e perfeitos, mas ainda não consegui ver o maldito Por que Os Homens Mentem, vê se pode!!

Ahh verdade, não dá pra esquecer dos jornais da minha vida, né? Fala Cidade, Mais, A Palavra da Piedade... nenhum vingou pra mim, mas... Valeu a experiencia.

Ahhhh, não sei maais! O que sei é que valeu a pena! Valeu e agradeço!
E que venha 2010, com mais um bocado de felicidade, pra todos nós!!

Beeijoos, Jaqueline.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Resoluções do ano velho

Sabem aquelas resoluções de fim de ano, absurdas ou não, muitas vezes fúteis, que escrevemos sem nem nos preocuparmos realmente no que vamos fazer para realizá-las?! Pois é, como vocês bem sabem eu sempre escrevo... Essa lista era o que eu 'queria' pro segundo semestre de 2009, mas já serve (lista incompleta):

1 corda branca e amarela siiiiim, eu peguei corda branca e amarela no 3º mini festival de capoeira e troca de cordas do CACAB!  Foi um dia perfeito, de muita adrenalina, muita emoção mesmo. Meu primeiro batizado, jogo com o Mestre Dentinho, cai de costas e ficou doendo, fiz a ponte e deu tempo de sair, tirei fotos, cantei e bati palma como nunca. Meus Olhinhos brilhaaavam!

2 rasta no cabelo pro batizado vocês vão notar que 'falta de dinheiro' será a desculpa (ou a culpa) pra não realização de váários tópicos.

3 zerar contas falta de dinheiro não... na verdade, eu zerei as contas que eu tinha no primeiro semestre... acontece que fiz outras ué (que estão em vias de serem zeradas) se não quiser ter contas pra zerar, um dica, não entre em lojas de sapatos e escolha uma só modalidade esportiva pra ser fiel (de preferencia uma que não precise de uniforme, roupa de apresentação, sapato adequado ou mensalidade até o dia 10).

4 festa italiana em setembro siim, eu fui! Tava divertido, mas posso dizer que haverão melhores. Muito choop (?!) de vinho, um suco, uma fogazza... uns foras divertidíssimos (um, principalmente), um pouco de romance e risadas. Ahh, e muuuito barro!

5 Claudinha Leitte em outubro esse foi, definitivamente, falta de dinheiro!

6 baile do Hawaii em novembro tecnicamente ele foi em outubro, mas eu fui mesmo assim. Tava muito ruim no começo, mas depois de uns minutos ficou tudo azul. Vestido curto, músicas melhores do ano passado. Dancei demais e não me arrependo de nada. 

7 MB de matemática  Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

8 nota boa no ENEM pra mim foi boa sim; se conseguir uma bolsa pra mim então.. NOSSA, aí eu caso com a minha nota de tão boa que ela vai ser!!

9 não ficar de recuperação de nada no words!

10 fazer 17 anos no words² - pra não fazer só se eu morresse antes e isso não era uma opção.

11 comemorar meu aniversário com os amigos foi quase perfeito, divertidíssimo, muita pizza, suco de laranja e mulher na mesa! Presentes, presentes, só pessoas importantes! Amei, amei.

12 aumentar minha mesada Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

13 assistir Harry Potter 6 lol uma merda de filme, mas assisti!

14 emagrecer de vez AINDA não


15 comprar meu biquíni de oncinha AINDA não

16 ir na colação de grau do Martinho AINDA não

17 levar a Lary pra dormir em casa AINDA não

18 começar a sair de sábado a noite de vez \o/

19 manter o bom humor AINDA não

20 levar a Thata fazer ioga AINDA não

21 levar a Valéria fazer ioga AINDA não

22 caminhar de manhã quando acabar as aulas AINDA não, mas vou começar amanhã, porque até hoje minha irmã companheira de caminhada tava indo pra facul, então considerem realizado!

23 programar férias TDB programar, eu programo....

24 lavar minha bike e encher os pneus (foi minha mãe)


25 voltar a andar de bike eu vou, ano que vem ahhahaahha


26 ir de bike até a gruta eu vou, ano que vem ahhahaahha [2]

27 voltar da gruta de bike eu vou, ano que vem ahhahaahha [3]

28 descobrir se meu MP4 ainda funciona é, não funciona...


29 ler alguns livros, pra distrair Ah, eu leio sim e vou vivendo...


30 passar lista de músicas pro Izak baixar pra mim \o/ passei, ele baixou, mas não me entregou o cd com elas \o/...

31 comprar HP4 falta de dinheiro


32 aprender a tocar berimbau falta de um berimbau

33 melhorar no pandeiro vergonha demais, mas aprendi a tocar atabaque

34 melhorar a queda de rim siiiiiiiiiiimmmm *____*

35 parar o ballet GRAÇAS A VANESSA EU NÃO PAREI


36 andar de bike no lugar do balé

37 tomar vergonha na cara e usar hidratantes

38 usar filtro solar

39 doar sapatos que eu não uso mais

40 comprar um tênis novo pra faculdade ano que vem, devido às tais contas


41 parar de me irritar com as pessoas que eu não gosto

42 ser mais flexível


43 melhorar meu alongamento próximo nível é botar a cabeça entre as pernas quando fizer ponte Oo hahahahaha


44 tirar muitas fotos


45 aproveitar cada segundo com os amigos


46 escrever algumas cartas

47 cortar o cabelo (um pouco ;D)


48 voltar no Itu.com duas vezes cada mês KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK


49 ir ver a apresentação de ballet do Espaço Shiva


50 drenagem linfática pra ver como é que é


51 fazer uma aula de pilates

52 limpar meu Orkut

53 visitar a Delícias em Pacotes e lembrar de dizer que eu morri e cheguei no céu Esqueci de dizer que morri e cheguei no céu k2

54 aprender a passar sombra em pó


55 conquistar uma pele de bumbum de bebe!


56 bron-ze-a-dér-ri-ma


57 levar pelo menos minha mãe no batizado


58 cd do Jack Johnson


59 cd Ana Carolina


60 terminar essa lista, decentemente.



Beeeijooos, Jaqueline.
p.s.: vou começar a escrever a lista de 2010 ;D hahahaha

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Então dance, só dance!

Sim, nossas mãos tremiam; sim, minha garganta secou assim que pisei lá e meus nervos sofreram um choque absurdo de adrenalina quando, pela primeira vez na vida, me vi sozinha num palco com cerca de trezentas pessoas olhando pra mim. quando nos anunciaram no microfone e eu lá, passando delineador nos olhos da Josy... Tranquilas? Não, rindo de nervoso, mesmo. Os olhos procuravam conhecidos na plateia, não encontraram ninguém. O sorriso as vezes murchava pela concentração e, forcado, obedecia minha ordem de voltar pro seu lugar. Os olhos, brilhavam, tenho certeza, de felicidade, de euforia, de magia. E apesar de todo o nervosismo, de toda tremedeira e sede, os pés e braços agiam por si; meu cérebro, travado, já não mandava mais coordenada alguma, mas eles sabiam bem o que deviam fazer, e fizeram; dançaram cada passo de cada coreografia com um mínimo de graça e, fora pisar no vestido na hora de levantar, eles fizeram tudo direitinho, e me orgulhei. Me orgulhei de mim e das minhas amigas; e de cada coisinha fofa de rosa que eu amo tanto; da classe da minha professora e de como ela estava linda, rainha das suas bailarinas;

Ao fim da euforia, veio o baque, a leve vontade de chorar: de felicidade, de agradecimento, de dor no coração por ter acabado e pela incerteza se passarei por um momento como esse outra vez na minha vida. Ano que vem não passa de um borrão, uma incógnica numa equação de centésimo grau que eu não sei resolver.  Talvez, eu dance mais, talvez não. Certos momentos são únicos nas nossas vidas,... Nem sempre tudo o que é bom dura pra sempre. Nem sempre o que é inesquecível se repete.

Assim sendo, não sei se vou dançar outra vez, mas o que importa - eu sei - é que dancei. É que realizei um sonho de infância quando - louca - me matriculei pr'aquelas aulas de ballet clássico, sem nem saber quantos meses meu salário aguentaria pagar e, vencendo cada obstáculo maldito que se colocava no meu caminho, com ajuda de pessoas muito importantes pra mim, dancei. Me apresentei, dancei, passei nervoso, colei mil e uma lantejoulas, grudei os dedos com cola, limpei as sapatilhas pra sujá-las ainda mais, paguei cada centado daquele vestido azul, antes tão odiado, e dancei.

Viver isso foi importantíssimo pra mim, e pra todos no Espaço Shiva tenho certeza, porque cada bailarina é uma estrela, que subiu ao palco pra mostrar uma pontinha de seu brilho, um pouquinho do que é capaz de fazer. Cada uma, com suas dificuldades e suas glórias, foi importante pra tornar esse momento mágico real. Cada aula, cada música, cada problema que nós superamos juntas. E se não fosse casa espectador,... bom, pra quem dançaríamos?! Vocês são o motivo do nosso esforço, da nossa dedicação, do nosso talento se cumprir. À Vanessa, só posso agradecer, nada vai mostrar a ela o quanto sou grata por não ter me deixado parar o ballet quando eu achei que era a única saída. Nunca há uma única saída. Obrigado por cada segundo de amizade, de confiança. Obrigado por seu talendo e competência. A cada pessoa que ajudou, seja carregando cadeiras, maquiando, comprando coisas, enfeitando, fechando as janelas, limpando, fazendo propaganda, convidando, costurando... OBRIGADO! Vocês me ajudaram a relizar um SONHO! E isso definitivamente não tem preço, definitivamente eu nunca vou esquecer.

Vou ficar aqui, com meu sonho realizado, feliz. Porque agora tenho a certeza - porque saber eu já sabia - de que sonhos podme sim ser reais; talvez não quando nós queremos, e definitivamente não sem que lutemos por eles. Mas, sim, eles acontecem. As vezes melhor do que quando apenas sonhávamos. E acontecem na hora certa, quando você vai pdoer sinceramente aproveitar sua realização da melhor forma possível, degustando cada sabor, ouvindo cada nota, se dissolvendo a cada aroma. E sim, dar ao sonho o devido valor e consideração. Nunca esquecê-lo, nunca deixá-lo pra trás. E nunca, NUNCA, deixar de lutar pelo que se sonha, porque nós somos os únicos capazes de desenhar algo que esta na nossa cabeça!

Eu posso fazer acontecer, e fiz.
Estou orgulhosa.

Beeijos, bailarina, Jaqueline.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Coisinhas

Dos dois amigos secretos:
- dei um livro velhíssimo raro do Pessoa e uma camiseta azul;
- ganhei um sapo de pelúcia e um livro perfeito da Clarice Lispector;
- comi muita coisa, inclusive bolo da mãe da Bea;
- tirei o Luiz e ele me tirou (mas ambos trocaram os papéis, então acho que não vale!)





Mais fotos do batizado (particularmente as melhooores):














Semana que vem, no muito, coloco fotos do amigo secreto e da apresentação do ballet.
Beeijoos, Jaqueline.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Me responde, por favor


Almanaque (Chico Buarque)

Ô menina vai ver nesse almanaque como é que isso tudo começou
Diz quem é que marcava o tique-taque e a ampulheta do tempo disparou
Se mamava de sabe lá que teta o primeiro bezerro que berrou
Me responde, por favor
Pra onde vai o meu amor
Quando o amor acaba

Quem penava no sol a vida inteira, como é que a moleira não rachou
Quem tapava esse sol com a peneira e quem foi que a peneira esfuracou
Quem pintou a bandeira brasileira que tinha tanto lápis de cor
Me responde por favor
Pra onde vai o meu amor
Quando o amor acaba

Diz quem foi que fez o primeiro teto que o projeto não desmoronou
Quem foi esse pedreiro, esse arquiteto, e o valente primeiro morador
Diz quem foi que inventou o analfabeto e ensinou o alfabeto ao professor
Me responde por favor
Pra onde vai o meu amor
Quando o amor acaba
 Quem é que sabe o signo do capeta, o ascendente de Deus Nosso Senhor
Quem não fez a patente da espoleta explodir na gaveta do inventor
Quem tava no volante do planeta que o meu continente capotou
Me responde por favor
Pra onde vai o meu amor
Quando o amor acaba

Vê se tem no almanaque, essa menina, como é que termina um grande amor
Se adianta tomar uma aspirina ou se bate na quina aquela dor
Se é chover o ano inteiro chuva fina ou se é como cair o elevador
Me responde por favor
Pra que tudo começou
Quando tudo acaba


Simplesmente gostei do poema. ;D

N/A: ENEM - acertei 113 de 180... cerca de 62% da prova. Tá bom né? :S
Apresentação de Ballet chegando *nervosa*.
Recuperação de matemática, inglês ¬¬ e história ¬¬²
Amigos secretos amanhã (são dois \o)


Beeijos, Jaqueline.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Dias 5 e 6,



Boa sorte pra todo mundo! E que venha a universidade!

Beeijos, Jaqueline, ligeiramente nervosa.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Dezembro




Dezembro lembra Natal, que lembra presentes, que lembram amigos, que lembram abraços, que lembram dos dias dos quais eu sei que vou sentir uma baita saudade. Dezembro tem cara de saudade. Como chocolate que acaba e deixa o doce na boca, e faz você ficar pedindo mais um pedaço. É estranho, pois ao mesmo tempo que você quer engolir o chocolate inteiro, até o fim, lamber os dedos e o papel, você quer, sim, que ele dure pra sempre! O que torna tudo ridiculamente contraditório. A vida é mais ou menos assim, comigo, pelo menos. Dezembro é o último mês de aula (no caso, o ultimo mês do ensino médio, fim de muitas outras coisas) e é o mês que eu mais trabalho no ano. É chato, cansativo, e mal pago. De qualquer forma, faz parte. Assim como o fim da escola que, apesar de chata e cansativa, é onde eu encontro com pessoas que eu amo demais, e onde rio muito e aprendo e me divirto mais que nunca. Quero absurdamente, engolir dezembro pra que ele acabe logo, e que o Natal também fique só pro ano que vem, mas sei que quando acabar vou pedir mais.

Essa semana, particularmente, está me stressando um bocado (mas já ta passando) por ser semana de provas (tenho mais umas 3 por fazer) e esse fim de semana é o ENEM, super importante, que vai definir o resto da minha vida, já que dependo desse maldito pra estudar na faculdade que eu quero, por questões financeiras (ProUni). 
Na próxima, além das provas que ficaram faltando, há, pra compensar o stress, amigo secreto na escola (dois!!). Gostei das duas pessoas que eu tirei... E acho que pelo menos uma delas vai ficar satisfeita com o presente. A outra já não sei... Hahahaha.
No domingo, dia treze, tem apresentação de ballet clássico do Espaço Shiva, no qual serei parte das Águas (também vai ter libélulas, joaninhas e flores). Acho que vai dar tudo certo, parece que está tudo caminhando bem, e as coreografias (vou dançar duas, e depois tem mais três, das outras turmas) estão uma gracinha, modéstia a parte.

Depois disso é só trabalho, trabalho e trabalho. Nem do amigo secreto da capoeria eu vou participar, porque vou trabalhar no dia da revelação... Enfim, logo o Natal passa.

Boa sorte pra mim, então.

Beeijos, Jaqueline.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Gaia, deusa mãe

“Antes do homem ser criado, só havia terra e ar e antes mesmo de existir o ar e a terra, se necessitava de um lugar para estes se manifestarem. Este lugar era o Caos: que era o lugar onde existia só a possibilidade de ser. No sonho do Caos só existia o Pensamento, que crescia e palpitava e este Pensamento estabeleceu a Ordem. Tão poderoso e eficaz foi este Pensamento que chamou a si mesmo de Eros, e ao pronunciar aquele nome, o Caos se transformou no Momento. Do Caos e Eros surgiram a obscuridade chamada Nyx e o movimento chamado Boreas, o vento.
Em sua primeira dança cósmica, Nyx e Boreas, giraram em movimento arrebatado e frenético até que tudo que era denso e pesado descendeu, e tudo que era leve ascendeu. A matéria densa era Gaia e de sua chuva e de sua semente proveu sua descendência.”


“Dizia-se que o homem nascera da terra molhada aquecida pelos raios de Sol. Deste modo, a sua natureza participa e todos os elementos e quando morre, sua mãe venerável o recolhe e o guarda em seu seio.”


Gaia é a energia da própria vida, Deusa pré-histórica da Mãe Terra, é símbolo da unidade de toda a vida na natureza. Seu poder é encontrado na água e na pedra, no túmulo e na caverna, nos animais terrestres e nos pássaros, nas serpentes e nos peixes, nas montanhas e nas árvores.”




 Sempre gostei do nome Gaia, agora descobri o porquê.
www.flickr.com/jaquerosaroxa

Beeijos, Jaqueline.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Só Para Mulheres


“Sejam vocês mesmas! Estudem cuidadosamente o que há de positivo ou negativo na sua pessoa e tirem partido disso. A mulher inteligente tira partido até dos pontos negativos. Uma boca demasiadamente rasgada, uns olhos pequenos, um nariz não muito correto podem servir para marcar o seu tipo e torná-lo mais atraente. Desde que seja seu mesmo.”
(Helen Palmer, psedônimo de Clarice Lispector, no espaço “Correio feminino – Feira de utilidades”, no jornal Correio da Manhã)

"Meio cômico, mas eficaz...
De que modo matar baratas? Deixe, todas as noites, nos lugares preferidos por esses bichinhos nojentos, a seguinte receita: açúcar, farinha e gesso, misturados em partes iguais. Essa iguaria atrai as baratas que a comerão radiantes. Passado algum tempo, insidiosamente o gesso endurecerá dentro das mesmas, o que lhes causará morte certa. Na manhã seguinte, você encontrará dezenas de baratinhas duras, transformadas em estátuas. Há ainda outros processos. Ponha, por exemplo, terebentina nos lugares freqüentados pelas baratas: elas fugirão. Mas para onde? O melhor, como se vê, é mesmo engessa-las em inúmeros monumentozinhos, pois‘para onde’ pode ser outro aposento da casa, o que não resolve o problema."
(Tereza Quadros, outro pseudônimo de Clarice Lispector, na sua coluna feminina no semanário Comício)

~

Eis que não escondo de ninguém minha recente paixão pro Clarice. Agora, no entanto, tal paixonite vem se transformando em algo um tanto mais significativo. Definitivamente, é ridículo. Que posso dizer sobre essa mulher, visto que nunca me deleitei numa só obra completa? Tudo que sei de Clarice vem duns sites, alguns trexos que li de suas colunas, como os acima, e um ou outro conto. Mesmo assim, a face recém descoberta duma Lispector jornalista tem me encantado indiscutivelmente. Cada coluna, cada jornal pelo qual ela passou,... é pretenão dizer que me faz pensar em mim, mas é o que acontece. É impossível, na fase pré universitária na qual me encontro, não devanear tais absurdos, uma vez que conheço alguns - sim, só alguns - jornalistas de sucesso e renome. Clarice pode não ter sido a melhor jornalista de época alguma, ja que é na literatura que reina, mas foi uma mulher espetacularmente talentosa e é impossível não tratá-la com respeito, com idolatria.

"Clarice Lispector, em definitivo, não consta do rol dos “jornalistas e escritores”: sua verdadeira carreira desenvolveu-se na ficção. Mas é impossível ignorar a freqüência com que o trabalho na imprensa, ainda que circunstancial, ocupou-a – no fim das contas, sempre a palavra – até cerca de dois meses antes de morrer".
(Clarice jornalista: o ofício paralelo)

No entanto, pela minha reputação, é necessário que se esclareça: Clarice será minha companheira inseparável em dois mil e dez, já que pretendo dedicar-lhe ao menos meus dois meses de férias (janeiro e fevereiro, já que vou começar as aulas atrasada² graças à putaria do adiamento do ENEM e, em consequencia, das notas e aprovações das bolsas do ProUni). Assim sendo, quero ler sua biografia ('Clarice,' do B. Mooser - ou seja lá qual o nome do autor), acho que vou comprá-la ano que vem, ou pedí-la de Natal. Depois vou começar com Perto do Coração Selvagem, e não me perguntem por quê! É o que eu quero ler primeiro, talvez por ter sido minha primeira indicação, de um amigo, que o sugeriu crente de que iria gostar. Depois, vou devorá-la, mastigá-la e digeri-la. Aceito livros dela. Emprestados, doados, novos ou não; precisa-se de indicação de boas bibliotecas e sebos. Agradeceria absurdamente.



"Existe um ser que mora dentro de mim como se fosse casa dele, e é. Trata-se de um cavalo preto e lustroso que apesar de inteiramente selvagem - pois nunca morou antes em ninguém nem jamais lhe puseram rédeas nem sela - apesar de inteiramente selvagem tem por isso mesmo uma doçura primeira de quem não tem medo."
(Clarice Lispector)

Beeijos, Jaqueline.

sábado, 21 de novembro de 2009

Felicidade clandestina

Clarice Lispector
O Primeiro Beijo
São Paulo, Ed. Ática, 1996


Ela era gorda, baixa, sardenta e de cabelos excessivamente crespos, meio arruivados. Tinha um busto enorme; enquanto nós todas ainda éramos achatadas. Como se não bastasse, enchia os dois bolsos da blusa, por cima do busto, com balas. Mas possuía o que qualquer criança devoradora de histórias gostaria de ter: um pai dono de livraria.

Pouco aproveitava. E nós menos ainda: até para aniversário, em vez de pelo menos um livrinho barato, ela nos entregava em mãos um cartão-postal da loja do pai. Ainda por cima era de paisagem do Recife mesmo, onde morávamos, com suas pontes mais do que vistas. Atrás escrevia com letra bordadíssima palavras como "data natalícia" e "saudade".

Mas que talento tinha para a crueldade. Ela toda era pura vingança, chupando balas com barulho. Como essa menina devia nos odiar, nós que éramos imperdoavelmente bonitinhas, esguias, altinhas, de cabelos livres. Comigo exerceu com calma ferocidade o seu sadismo. Na minha ânsia de ler, eu nem notava as humilhações a que ela me submetia: continuava a implorar-lhe emprestados os livros que ela não lia.

Até que veio para ela o magno dia de começar a exercer sobre mim uma tortura chinesa. Como casualmente, informou-me que possuía As reinações de Narizinho, de Monteiro Lobato.

Era um livro grosso, meu Deus, era um livro para se ficar vivendo com ele, comendo-o, dormindo-o. E completamente acima de minhas posses. Disse-me que eu passasse pela sua casa no dia seguinte e que ela o emprestaria.

Até o dia seguinte eu me transformei na própria esperança da alegria: eu não vivia, eu nadava devagar num mar suave, as ondas me levavam e me traziam.

No dia seguinte fui à sua casa, literalmente correndo. Ela não morava num sobrado como eu, e sim numa casa. Não me mandou entrar. Olhando bem para meus olhos, disse-me que havia emprestado o livro a outra menina, e que eu voltasse no dia seguinte para buscá-lo. Boquiaberta, saí devagar, mas em breve a esperança de novo me tomava toda e eu recomeçava na rua a andar pulando, que era o meu modo estranho de andar pelas ruas de Recife. Dessa vez nem caí: guiava-me a promessa do livro, o dia seguinte viria, os dias seguintes seriam mais tarde a minha vida inteira, o amor pelo mundo me esperava, andei pulando pelas ruas como sempre e não caí nenhuma vez.

Mas não ficou simplesmente nisso. O plano secreto da filha do dono de livraria era tranquilo e diabólico. No dia seguinte lá estava eu à porta de sua casa, com um sorriso e o coração batendo. Para ouvir a resposta calma: o livro ainda não estava em seu poder, que eu voltasse no dia seguinte. Mal sabia eu como mais tarde, no decorrer da vida, o drama do "dia seguinte" com ela ia se repetir com meu coração batendo.
E assim continuou. Quanto tempo? Não sei. Ela sabia que era tempo indefinido, enquanto o fel não escorresse todo de seu corpo grosso. Eu já começara a adivinhar que ela me escolhera para eu sofrer, às vezes adivinho. Mas, adivinhando mesmo, às vezes aceito: como se quem quer me fazer sofrer esteja precisando danadamente que eu sofra.

Quanto tempo? Eu ia diariamente à sua casa, sem faltar um dia sequer. Às vezes ela dizia: pois o livro esteve comigo ontem de tarde, mas você só veio de manhã, de modo que o emprestei a outra menina. E eu, que não era dada a olheiras, sentia as olheiras se cavando sob os meus olhos espantados.
Até que um dia, quando eu estava à porta de sua casa, ouvindo humilde e silenciosa a sua recusa, apareceu sua mãe. Ela devia estar estranhando a aparição muda e diária daquela menina à porta de sua casa. Pediu explicações a nós duas. Houve uma confusão silenciosa, entrecortada de palavras pouco elucidativas. A senhora achava cada vez mais estranho o fato de não estar entendendo. Até que essa mãe boa entendeu. Voltou-se para a filha e com enorme surpresa exclamou: mas este livro nunca saiu daqui de casa e você nem quis ler!
E o pior para essa mulher não era a descoberta do que acontecia. Devia ser a descoberta horrorizada da filha que tinha. Ela nos espiava em silêncio: a potência de perversidade de sua filha desconhecida e a menina loura em pé à porta, exausta, ao vento das ruas de Recife. Foi então que, finalmente se refazendo, disse firme e calma para a filha: você vai emprestar o livro agora mesmo. E para mim: "E você fica com o livro por quanto tempo quiser." Entendem? Valia mais do que me dar o livro: "pelo tempo que eu quisesse" é tudo o que uma pessoa, grande ou pequena, pode ter a ousadia de querer.
Como contar o que se seguiu? Eu estava estonteada, e assim recebi o livro na mão. Acho que eu não disse nada. Peguei o livro. Não, não saí pulando como sempre. Saí andando bem devagar. Sei que segurava o livro grosso com as duas mãos, comprimindo-o contra o peito. Quanto tempo levei até chegar em casa, também pouco importa. Meu peito estava quente, meu coração pensativo.

Chegando em casa, não comecei a ler. Fingia que não o tinha, só para depois ter o susto de o ter. Horas depois abri-o, li algumas linhas maravilhosas, fechei-o de novo, fui passear pela casa, adiei ainda mais indo comer pão com manteiga, fingi que não sabia onde guardara o livro, achava-o, abria-o por alguns instantes. Criava as mais falsas dificuldades para aquela coisa clandestina que era a felicidade. A felicidade sempre iria ser clandestina para mim. Parece que eu já pressentia. Como demorei! Eu vivia no ar… Havia orgulho e pudor em mim. Eu era uma rainha delicada.

Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.

Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com o seu amante.
 
 
 
 
Só um conto do qual gosto bastante.
Beeijoos, Jaqueline.

Roda da Consciência Negra



Ontem, dia da Consciência Negra, houve uma roda tudo de bom na Coiote  com a turma de Cabreúva do grupo Água de Beber. Foi divertido e, ao mesmo tempo, serviu de treino pré batizado. Acho até que deu pra amenizar os nervos da galera, e do professor, que andam mais nervosos do que realmente precisam. Eu, acreditem ou não, estava com vergonha da minha pequena e adorada plateia (N/A: plateia não tem mais acento, certo?!) - Luiz, Gabriel e Raul, loucos, vieram até aqui de bicicleta - e, quando entrei na roda, fui tentando dar o meu melhor (fiz até martelo voador hahaaha) e parece que deu certo, porque foi meu melhor jogo de ontem.

Eu vou, na quarta, no curso do CM Paulo Renato, como acho que já falei mil vezes, e no sábado pego minha corda tãão desejada branca e amarela.

Fotos haverão com certeza.

Beeijoos, Jaqueline.