sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Só Para Mulheres


“Sejam vocês mesmas! Estudem cuidadosamente o que há de positivo ou negativo na sua pessoa e tirem partido disso. A mulher inteligente tira partido até dos pontos negativos. Uma boca demasiadamente rasgada, uns olhos pequenos, um nariz não muito correto podem servir para marcar o seu tipo e torná-lo mais atraente. Desde que seja seu mesmo.”
(Helen Palmer, psedônimo de Clarice Lispector, no espaço “Correio feminino – Feira de utilidades”, no jornal Correio da Manhã)

"Meio cômico, mas eficaz...
De que modo matar baratas? Deixe, todas as noites, nos lugares preferidos por esses bichinhos nojentos, a seguinte receita: açúcar, farinha e gesso, misturados em partes iguais. Essa iguaria atrai as baratas que a comerão radiantes. Passado algum tempo, insidiosamente o gesso endurecerá dentro das mesmas, o que lhes causará morte certa. Na manhã seguinte, você encontrará dezenas de baratinhas duras, transformadas em estátuas. Há ainda outros processos. Ponha, por exemplo, terebentina nos lugares freqüentados pelas baratas: elas fugirão. Mas para onde? O melhor, como se vê, é mesmo engessa-las em inúmeros monumentozinhos, pois‘para onde’ pode ser outro aposento da casa, o que não resolve o problema."
(Tereza Quadros, outro pseudônimo de Clarice Lispector, na sua coluna feminina no semanário Comício)

~

Eis que não escondo de ninguém minha recente paixão pro Clarice. Agora, no entanto, tal paixonite vem se transformando em algo um tanto mais significativo. Definitivamente, é ridículo. Que posso dizer sobre essa mulher, visto que nunca me deleitei numa só obra completa? Tudo que sei de Clarice vem duns sites, alguns trexos que li de suas colunas, como os acima, e um ou outro conto. Mesmo assim, a face recém descoberta duma Lispector jornalista tem me encantado indiscutivelmente. Cada coluna, cada jornal pelo qual ela passou,... é pretenão dizer que me faz pensar em mim, mas é o que acontece. É impossível, na fase pré universitária na qual me encontro, não devanear tais absurdos, uma vez que conheço alguns - sim, só alguns - jornalistas de sucesso e renome. Clarice pode não ter sido a melhor jornalista de época alguma, ja que é na literatura que reina, mas foi uma mulher espetacularmente talentosa e é impossível não tratá-la com respeito, com idolatria.

"Clarice Lispector, em definitivo, não consta do rol dos “jornalistas e escritores”: sua verdadeira carreira desenvolveu-se na ficção. Mas é impossível ignorar a freqüência com que o trabalho na imprensa, ainda que circunstancial, ocupou-a – no fim das contas, sempre a palavra – até cerca de dois meses antes de morrer".
(Clarice jornalista: o ofício paralelo)

No entanto, pela minha reputação, é necessário que se esclareça: Clarice será minha companheira inseparável em dois mil e dez, já que pretendo dedicar-lhe ao menos meus dois meses de férias (janeiro e fevereiro, já que vou começar as aulas atrasada² graças à putaria do adiamento do ENEM e, em consequencia, das notas e aprovações das bolsas do ProUni). Assim sendo, quero ler sua biografia ('Clarice,' do B. Mooser - ou seja lá qual o nome do autor), acho que vou comprá-la ano que vem, ou pedí-la de Natal. Depois vou começar com Perto do Coração Selvagem, e não me perguntem por quê! É o que eu quero ler primeiro, talvez por ter sido minha primeira indicação, de um amigo, que o sugeriu crente de que iria gostar. Depois, vou devorá-la, mastigá-la e digeri-la. Aceito livros dela. Emprestados, doados, novos ou não; precisa-se de indicação de boas bibliotecas e sebos. Agradeceria absurdamente.



"Existe um ser que mora dentro de mim como se fosse casa dele, e é. Trata-se de um cavalo preto e lustroso que apesar de inteiramente selvagem - pois nunca morou antes em ninguém nem jamais lhe puseram rédeas nem sela - apesar de inteiramente selvagem tem por isso mesmo uma doçura primeira de quem não tem medo."
(Clarice Lispector)

Beeijos, Jaqueline.

5 comentários:

Carlos Strife disse...

Que vergonha, maninha, conhecendo Clarice só agora???
Ela é o que há de melhor na nossa literatura, certamente. E não importa se é com ficção, com jornalismo ou com seu modo peculiar de ser (e até como pintora): TUDO o que sai da mente e da boca dessa pessoa genial merece respeito, TUDO!
Já li A Hora da Estrela e Laços de Família. Tenho Perto do Coração Selvagem e Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres e... cara... é o que há. A Hora da Estrela é um dos livros de cabeceira que todos deveriam ter e é uma das obras mais perfeitas. Um dos meus favoritos.
Já estudei MUITO Clarice e pode-se dizer que sou um pouco fanático por ela ^^'
além de admirá-la, sou bastante influenciado por ela e isso só tende a aumentar.
De qualquer forma, continue se aprofundando, você só tem a ganhar com a nossa querida amiga que nasceu na Ucrânia e veio presentear os brasileiros com todo o seu talento incomparável ^^

Cαndy; disse...

Bom, repito tudo o que o Carlos falou, depois disso não tem muito o que dizer ^^'
Ótimo post, espero que você conheça e se encante ainda mais com a sutileza com que Clarice combina as palavras e torna-as inesquecíveis.

Beijos,
Laís.

Jaqueline disse...

Não, maninhoo... não e vergonha nenhuma. De nome, conheço muitissimos autores, mas não me aprofundo nem perco tempo num só nicho. A diferença é que escolhi Clarice como meu primeiro estudo, minha autora favorita e, sim, a estou desbravando agora. E vem muito mais por ai...

Vlw pelos comentários, vou roubar seus livros ano que vem ;D
fique tranquilo
hahahahha


beeijooos s2

Carlos Strife disse...

Ah, maninha, espero que você não tenha ficado chateada com o que eu escrevi no começo do comentário '-'
era brincadeira, viu? *morre*
enfim, pode roubá-los sim ^^
Beijos, te amo!
s2

L.S. Alves disse...

Vi nas livrarias, recentemente, um livro com a correspondência dela com as irmãs. Vale a pena conferir.
...
faugb