sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

notas sobre ele

Ele é taurino. Nasceu bem na metade do mês de maio de 89, mas nem por isso faz parte daquela galera que fica falando que os anos oitenta foram os melhores (ainda bem!). Ele tem os olhos pequenos, escuros e sérios, focados. Tem valetas acima das orelhas, onde as hastes do óculos de grau o apertaram por anos. Na nuca, o cabelo dele fica mais pro lado direito - e quando andávamos de moto eu tinha a mania de ficar arrumando... 

Nem sempre ele bebe café no café da manhã - o que pra mim não tem lógica alguma. Ele nunca enjoa de frango grelhado e come batata doce numa boa antes do treino. É aquele tipo de pessoa que gosta de ir pra academia - não consigo entender porquê mas acho bonitinho. 

Ele tem mãos firmes. E aquele aperto de mão confiante, que olha no olho e diz a que veio. Ele fica ótimo de gravata. De all star também. Ele pressiona os lábios quando toca bateria exatamente como eu faço quando danço. É pra ajudar na concentração, sabe. 

Ele é especialista em macarrão com carne moída, não dispensa um hambúrguer bem feito e nem uma cerveja gelada, mas topa quando a proposta é vinho e frango crocante com creme de cogumelos. É um homem que sabe valorizar o sabor de uma comida de qualidade mas não vê diferença entre o pão francês mais torrado ou cru. 

Ele é ótimo com crianças e elas - assim como as velhinhas e os bêbados - sempre o adoram. Ele conta histórias e faz graça e sorri pra mim quando vê bebês gorduchos no shopping. Ele tem um coração bom. Trabalha muito e, às vezes, até de graça, se for pra ajudar alguém. Ele diz que não tem paciência pra atendimento ao público, mas sempre o faz com atenção e cuidado.

Ele preza demais a família e veste a camisa mesmo. Ele muda a voz pra falar com os gatos e os pega no colo mesmo sabendo que vai espirrar o dia inteiro, depois disso. Ele prefere UFC a futebol. Gosta de ver jornal. Sempre sabe o que está acontecendo no mundo e tem uma boa memória pra fatos que eu nem sabia que tinham acontecido. Ele sabe de foguetes, de carros, de lugares, de pessoas, de política, de direito, de esporte. Hoje em dia, quase não vê televisão, mas me deixa escolher os programas quanto temos a chance. 

Ele era incrivelmente bonito quando tinha cabelos na altura dos ombros e era um motociclista cabeludo, barbudo e rockeiro - e ficou ainda mais bonito quando os cortou. Ele não come peixe, mas já "experimentou" várias vezes meu sashimi de salmão.

Quando vai ao cinema faz sempre questão da pipoca. Quando faz pipoca, faz sempre questão do catchup (na verdade, ele come qualquer coisa com catchup, só falta por no pudim). Ele gosta de desenhos animados. De música ao vivo. De viajar.

Os olhos dele brilham quando ele fala da Irlanda. Ele é um filho bom e atencioso, mais carinhoso do que eu jamais conseguirei ser. Ele tem ambição e orgulho de si, mas não parece um idiota pretensioso ao fazê-lo. Ele sabe que o mundo tem muito a oferecer e ele sabe que merece. Bom, na verdade ele pode não saber... Mas eu sei.







Um comentário:

Celso Rodrigues Duarte disse...

Fico sem palavras amor, por tanto carinho, atenção e amor. Por ter atenção a detalhes do meu eu que eu mesmo não percebo, acho tão normal e natural, não saberia dizer que é uma coisa minha, não saberia escrever um texto assim sobre mim, me detalhando =P =) hahaha. Muito obrigado por notar esses detalhes, muito me deixa feliz e te amando ainda mais vc me conhecer tanto e tão bem e ainda nos tratarmos igual namoradinhos novos que acabaram de se conhecer e esperam pelo fim de semana para poderem estar mais tempo juntinhos. Mil beijos amor. Te amo!