quinta-feira, 31 de julho de 2014

Calmamente feliz

E de repente, mais um mês se passa e o Amnésia continua faminto de palavras.
Sorte minha não ter tantos leitores pra decepcionar.

Acabo de constatar que o Amnésia completou seis anos nesse mês. Poxa. Seis anos atrás eu era uma adolescente gordinha e espinhenta, metida a popular que cursava o segundo colegial e sentava perto da janela pra papear e olhar pra fora da sala durante aulas chatas de física ou geografia.

Seis anos, pra quem viveu apenas um pouco mais de vinte, é muita coisa. E assim eu percebo como de fato as coisas passam a fazer parte das nossas vidas, mais ou menos intensamente, sem que a gente perceba. Quando começamos coisas pensamos que elas vão durar pra sempre, mas no fundo acho que não esperamos que durem. 

Um livro preferido, uma tatuagem, um filme, uma música, uma cor, uma pessoa. Coisas que marcam momentos, instantes, lembranças embaçadas, vagas, distantes... mas felizes.

Quando participei daquela dança e tirei aquela carta, nela estava escrito algo sobre a felicidade. Não me recordo bem as palavras, mas era como se sugerisse que eu tivesse uma tendencia a isso. E, pensando agora, chego à conclusão de que, de fato, só os bons momentos ficam. Claro que nada é apagado das nossas vidas pra sempre. Mas quando penso nos últimos seis anos, lembro muito mais dos sorrisos, dos amigos, do amor, do céu azul, das músicas, das danças, dos desafios vencidos... do que naquilo que me magoou, feriu, derrubou.

Mesmo perante as mais recentes dores, as felicidades tem poder maior. E acho que é assim porque elas são mais constantes, mas também porque eu escolho (natural e inconscientemente) dar a elas maior atenção.

"Nossa, Jaque, quer dizer que você não sofre, não fica triste?" Mais craaaaaaro que não! Eu sofro, choro, me irrito, chateio, magoo com coisas que só Deus entende. Mas a questão é que um pouco depois, escolho deixar pra lá. Escolho olhar o céu. Escolho ouvir uma música que eu gosto. Escolho rir da cara das minhas amigas palhaças. Escolho enviar um sms romântico. Escolho ver um vídeo da Beyoncé. Escolho minha próxima viagem, Escolho comer um brigadeiro. (e continuo mau humorada mesmo assim né, IMAGINA se eu resolvesse dar moral pros problemas da vida, aff)

E acho que a vida é bem por aí mesmo. Como diz minha bailoca preferida: decida o que você quer, obedeça as regras e trabalhe duro.

Eu escolhi ser calmamente feliz.




Um comentário:

Unknown disse...

Exatamente Jaqueline Rosa, pois em tudo o q fazemos, sempre buscamos a felicidade ao final, sempre fazemos com o intuito de no fim, sermos mais felizes, e enquanto não alcançamos, temos que ser felizes ainda sim, pq estamos buscando, e como dizem, "o melhor da festa é esperar por ela!" :P. A minha felicidade é vc! Te amo, princesa princesa! ;) <3